Sinesio Pontes Blog

Início » 2011 » abril (Página 2)

Arquivo mensal: abril 2011

De igual para igual.

 

Relações igualitárias.

 

 

Em menos de 01 mês nossa Presidenta Dilma Rousseff se encontrou com as duas maiores potências mundiais, EUA e China. Um bom começo para qualquer governante que planeja elevar a categoria de seu país.

Dilma está no caminho certo no projeto de assegurar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU para o Brasil. Inclusive contando com o apoio da China nessa questão.

Não devemos esquecer que o projeto brasileiro na ONU é compartilhado pelo G4 (Brasil, Alemanha, Índia e Japão) este último é o principal empecilho brasileiro no trato desse assunto com os chineses, pois a China ainda não está aberta para apoiar o Japão numa futura reforma no Conselho.

Por isso a delicadeza no trato dessa questão durante a visita, entretanto a posição chinesa a essa questão é bem mais explicita do que a americana.

A relação do Brasil com a China não é de submissão de nenhuma parte, e atualmente os chineses são nossos maiores parceiros comerciais, por isso temos que investir mais nessa parceria não só comercialmente, mas também em Ciência e Tecnologia.

Nessa visita, o Brasil conseguiu evitar o fechamento da fábrica da  Embraer localizada na China, autorizou a venda de carne suína por três grandes frigoríficos brasileiros além do estabelecimento de um Centro de Pesquisa chinês em Campinas.  Fora o fortalecimento diplomático entre essas grandes nações emergentes mundiais.

 

Leia também:

China dá passo adiante na defesa do Brasil no Conselho de Segurança da ONU –  Estadão
Brasil mostra tua cara.
Obama: Apreço ou apoio?

 

Anúncios

O PiG e a “Revolução” de 64.

Digá-me com quem andas...

Para quem não lembra o PiG, apoiou o Golpe de 64, apoiou também a Ditadura Militar instalada durante 21 anos, e foi contra o Movimento Diretas-Já.

Quem não lembra que a Folha chamou de “Ditabranda” os anos de chumbo e ainda emprestou veículos para os torturadores. E ainda o Globo estampando na 1ª página um Editorial de apoio ao “golpe”.

Nesse vídeo, produzido em 1975 a Rede Globo demonstra seu apreço pelo atual regime e oculta os milhares mortos, desaparecidos e torturados pelo Brasil afora. E olhem que o famigerado AI-5 já vigorava e a censura rolava solta.

 

Amigos navegantes, de 1975 até hoje nada mudou.

Dedo na ferida.

 

O PiG já tá de olho.

O SBT reativou seu Núcleo de Dramaturgia e resolveu tocar num assunto que muitos querem esquecer. “Golpe de 1964”.

O que o PiG batizou de “Revolução de 64”, Mas que Revolução? O que houve foi um golpe de Estado que destituiu o presidente eleito João Goulart. As forças retrógradas e ultra-direitas deste país aliadas com alguns veículos que atualmente carinhosamente chamamos de PiG e os EUA, não permitiram que Jango promovesse as Reformas de Base necessárias para o país, e jogaram o governo nas mãos de militares linha-duras. Resultado: 21 anos de Torturas, Arbitrios, Mortes, Desaparecidos, Censura.

O folhetim Amor e Revolução dá uma pequena mostra do que aconteceu nessa época.

Porém os militares ainda não se conformaram com a ideia e já tentam censurá-la com um Abaixo-Assinado (clique aqui). É como reviver 30 anos atrás.

Amigos navegantes, Comissão da Verdade já.

 

Leia também:

E Nós?
Os militares e a novela Amor e Revolução – Blog do Luis Nassif
Estreia de ‘Amor e Revolução’ rende boa audiência ao SBT – Terra

Luther King, Obama e Bolsonaro.

Ontem foi 04 de Abril, pouca gente sabe, mas há 43 anos era assassinado o líder e ativista negro americano Martin Luther King.

Luther King foi um ícone americano na luta pela defesa dos direitos para os negros americanos nos anos 50 e 60, numa época em que o racismo nos Estados Unidos era mais explicito. Onde negros viviam segregados, ganhavam menos que os brancos e não podiam compartilhar os mesmos espaços dos que se achavam “superiores”.

Mas na verdade a luta de Luther King ia bem mais além, as palavras desse líder empolgavam e encorajavam pobres, latinos ou outras minorias que não tinham as mesmas condições numa sociedade que se julga defensora da Liberdade e da Democracia. Porém, tudo isso lhe custou a vida. Em 1968 a voz de King calou-se, mas o seu sonho de Igualdade se disseminou em várias outras vozes, e em vários outros movimentos.

Mas e seu propósito foi alcançado? Muitas coisas foram feitas, mas ainda estamos aquém do que se merece.

 

Ninguém mais cai nessa.

E como fruto desse sonho, em 2008 surgiu Barack Obama. A interpretação fiel dos sonhos de Luther King. Quem acreditaria que o Presidente da Nação mais poderosa do planeta seria um Negro? Todos os paradigmas seriam quebrados e o mundo assistiu e também confiou seus sonhos àquele que poderia mudar o rumo da prepotência norte-americana.

Mas foi tudo mídia, tudo marketing. Quanta expectativa depositada pra nada. Nenhuma mudança, nenhuma reforma. Guantánamo continua como centro de torturas. Iraque e Afeganistão ainda sob invasão americana. Cuba ainda sob embargo econômico. Coréia do Norte, Irã, Venezuela ainda são o “Eixo do Mal”, e agora tomando de assalto o petróleo da Líbia.

“Yes, we can”. Em seu slogan, famoso em todo o mundo, Obama propaga que Sim, Nós podemos invadir, Nós podemos poluir, Nós podemos possuir bombas atômicas, Nós podemos torturar, Nós podemos tudo. Mas só eles, entendeu.

Coincidentemente hoje também começou a campanha para reeleição de Obama em 2012. O discurso é o mesmo, as promessas idem. O que acontecerá daqui até as eleições americanas? Não faço a mínima ideia, entretanto a certeza que tenho é que não nutro  mais qualquer esperança que alguma coisa mude quem quer que seja o próximo habitante da Casa Branca.

 

Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Em terras tupiniquins, temos nosso “amado” Jair Bolsonaro. Um dos 513 deputados federais eleitos, para nossa representação. Bolsonaro é a personificação dos sonhos mais racistas, mais fascistas do ser humano. Em sua “brilhante” declaração dada a um programa humorístico, o ilustre deputado teve a “honrosa” chance de mostrar seu ponto de vista. Preconceito velado contra negros e homossexuais, contra as cotas raciais nas universidades e a favor da Ditadura militar, da tortura e da censura.

A culpa é dele?  Não. Os culpados são os eleitores que ele representa. São pessoas que detém a mesma opinião do deputado, entretanto não possuem o manto da Imunidade parlamentar para manifestá-las. E é por isso que atualmente ainda nos deparamos com cenas de arbitrarismo contra Negros, Homossexuais, Pobres, Nordestinos. Fatos que achávamos que tínhamos deixado para trás nos século passado.

Os sonhos de Liberdade e Igualdade proclamado por Martin Luther King há 43 anos atrás ainda são Sonhos.

Amigos navegantes, afinal “Qual mundo deixaremos para nossas crianças?”.

73% de aprovação com menos de 100 dias de governo.

Fizemos a escolha certa. Com certeza.

Nossa Presidenta já mostrou seu cartão de visitas. 73% de aprovação do seu governo com menos de 100 dias à frente do Planalto.

Será que isso é por acaso?

Claro que não. Dilma demonstrou seriedade e competência desde o 1º dia, e claro uma preocupação com os problemas do país, porque ela de fato conhece o Brasil.

E não adianta mais chiar, e achar que sua popularidade é fruto da associação com Lula. Ela já consolidou sua imagem perante todos os setores da nossa sociedade, como também internacionalmente.

O PiG atribuirá-lhe essa alta popularidade à visita de Obama ou que hoje é 1º de abril ou outro motivo tosco qualquer. E ainda tentarão arrumar uma intriga também tosca entre Dilma e Lula.

Coitados.

Para quem proclamou que o Governo Dilma não daria certo. Engulam mais essa.

Amigos navegantes, isso é só o começo.

Leiam também

Dilma vai acabar com o Crack. Isso é Gestão.
Nova Cara do Brasil.
Dilma levará fibra-ótica para Boa Vista-RR e Manaus-AM. Que horror!!!
Lula 20, FHC zero.

 

Extraído do G1

01/04/2011 11h34 – Atualizado em 01/04/2011 12h33

Mariana Oliveira Do G1, em Brasília

A presidente Dilma Rousseff é aprovada por 73% da população, de acordo com pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta sexta-feira (1º). Dos entrevistados, 12% disseram desaprovar a presidente e 14% não souberam ou não responderam.

A avaliação é a primeira feita pelo Ibope sobre a gestão Dilma, após 80 dias de governo. De acordo com o levantamento, 56% consideram o governo ótimo ou bom, 27% regular e 5% ruim ou péssimo. Outros 11% não souberam ou não responderam.

O Ibope ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios de todas as regiões do país. A pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, o que significa que a aprovação da presidente pode variar de 71% a 75%. (mais…)

%d blogueiros gostam disto: