Sinesio Pontes Blog

Início » 2011 » setembro

Arquivo mensal: setembro 2011

Pra sempre!

Nem me dei conta de quanto tempo havia passado. Quando olho me remeto há 09 anos atrás e percebo que tudo está no mesmo lugar.

Alegria, tristezas, sorrisos, lágrimas, sucessos e fracassos nos tornaram cada vez mais fortes e unidos.

Na verdade eu nem sei onde estava com a cabeça quando embarquei nesta aventura maluca, mas te digo com verdade. Estes foram os melhores anos da minha vida.

Te amo, te amo, te amo !

Anúncios

11/09. Vai começar o show.

Uma coisa eu tenho que admitir. Americano sabe fazer festa. Foi assim sempre. Nascimento, Casamento, Funeral não passam em branco nos EUA. É show.

Há dez anos atrás todo o mundo assistiu a queda das torres gêmeas na ilha de Manhattan. Este evento, por ter sido em solo americano, inundou os meios de comunicação de um jeito que não se falava de outra coisa. Conseguiram transformar os vilões em coitadinhos, como se a pior atrocidade do mundo fosse enfiar um Boeing num dos maiores prédios do mundo e acabar com a vida de milhares.

Foi comovente assistir Bush proferir um discurso de vingança, típico dos filmes de Hollywood, onde o mocinho jura vingança no ínicio do filme e nós, abestalhados, torcemos todo o tempo para se concretizar a retaliação.

Tudo isso em High Definition.

 E o que aconteceu nestes últimos 10 anos?

 Já morreram muito mais pessoas no Afeganistão do que no World Trade Center e Pentágono juntos. O Iraque foi invadido e Saddam Hussein morto. Guantánamo continua torturando à luz das leis americanas. O Paquistão invadido para poderem assassinar Bin Laden. E agora Khadafi foi deposto na Líbia e está em contagem regressiva para o outro plano. Desde já que Deus o tenha.

Sabe qual é a diferença entre os mortos americanos e os outros?

Ninguém nem lembrará dos civis afegãos, dos civis iraquianos, das crianças líbias que pagaram com a vida também por conta do imperialismo americano. O terrorismo é abominável, de todas as partes. Invadir, Matar, Torturar também é Terrorismo e dos piores pois é de Estado.

Mas agora é 11/09 é dia de minuto de silêncio, é dia de revermos as torres caindo no Domingão do Faustão, Gugu, Fantástico ou outros similares idiotas que tentarão, mais uma vez, construir a imagem de coitados para os ianques, e quem sabe estrelarem um novo Blockbuster.

 Quero saber quem chorará a vida dos atingidos por mísseis teleguiados americanos. Dos fuzilados por Mariners, dos que não teem seus nomes inscritos no Memorial as Vitímas em NY.

Estas também são vitimas desta guerra sangrenta que não começou há 10 anos atrás mas que não tem hora para terminar.

Líbia sem Kadafi.

Na hora da partilha, o povo líbio ficou de fora.

Após a intervenção militar comandada por forças da OTAN, os rebeldes líbios conseguiram tomar o poder das mãos do líder Muammar Al Qadafi. Mas qual será o real interesse em invadir a Líbia?

Democracia?

Liberdade?

Nem tanto. As forças da OTAN juntamente com os Estados Unidos estão promovendo uma batalha para assegurar as riquezas do mundo, não se enganem. A Líbia é um dos maiores produtores de petróleo do planeta e Qadafi nunca deu bolas para os americanos ou europeus.

A verdade é que desde a Revolução da Líbia , este país conseguiu feitos consideráveis. O IDH líbio é o mais alto da África, a taxa de alfabetização é de 83%, taxa altíssima se compararmos com outros países árabes. E além de tudo o petróleo é ESTATIZADO, medida esta que sempre desagradaram os EUA desde a chegada de Qadafi ao poder.

Essa ação militar que resultou na mudança de presidente, em nada se parece com a queda do seu vizinho egípcio e aliado americano Hosny  Mubarack. A diferença está em quem está por trás. No Egito o maior interessado era o povo, que lotou a praça Tahrir com mais de um milhão de pessoas exigindo a saída do Ditador. Enquanto na Líbia os interesses partiram de uma partição rebelde apoiada pelos americanos e europeus.

Temos alguns casos no mundo atual que reforçam minha tese.

1  –  Iraque: O que a população iraquiana ganhou com a saída de Saddam Hussein?

Nada.

Onde estão as armas de destruição em massa? Nunca encontrarão, porque nunca existiram. A queda de Saddam era parte da estratégia de se tomar o petróleo iraquiano. Liberdade e democracia ficaram pelo caminho enquanto os americanos torturavam em Guantánamo.

2  –  Afeganistão: Porque os americanos ainda estão em solo afegão se já assassinaram Bin Laden?

Será que ainda querem levar a bendita democracia?

Passados 10 anos da invasão americana, nada foi melhorado neste país. Os EUA financiaram e criaram os talibãs para combaterem os soviéticos e agora querem derrubá-los. Enquanto isso democracia está longe.

Você sabia que o Afeganistão dispõe da maior reserva de lítio e cobre do mundo? Lítio é o material que se fabrica baterias em todo o mundo, inclusive a do seu celular. Este é o motivo dos yanques não largarem o osso.

3  –  Agora a Líbia.

Coincidência?

Claro que não.

Pouco a pouco os desafetos de Washington estão caindo e o mundo aplaudindo e achando graça.

Quem será o próximo?

Leia também:

Rebeldes líbios prometem dar 35% do petróleo líbio para companhias francesas – RFI

EUA revelam ricas reservas de cobre e lítio no Afeganistão – EXAME

O que a mídia não mostra sobre Kadafi – Teia Livre @LaPasionaria

Líbia para os líbios.

%d blogueiros gostam disto: