Sinesio Pontes Blog

Início » 2012 » novembro

Arquivo mensal: novembro 2012

Incoerência: Bolsista do Prouni ressuscita a múmia Arena.

A elite desse país odeia pobre, viu.

Voltemos a 31 de março de 1964. Os militares marcharam em direção à Brasília e o legítimo Presidente João Goulart é deposto. Daí para frente o que se viu nesse país foi uma ditadura que durou 21 anos. O Governo militar instituiu a censura, a  tortura, perda de direitos civis, cassação de mandatos de deputados, senadores e governadores eleitos, e sobretudo a criação, através de decreto, de um sistema bipartidário no país. Um partido que apoiava, discretamente, os movimentos democráticos o MDB (que depois viraria o PMDB) e outro partido que dava sustentação aos militares, a ARENA.

A Arena era composta por figuras que representavam a elite e a Direita do país, oriundos de partidos conservadores como UDN, PSD por exemplo. O fim da Arena originou alguns partidos como o PFL de ACM, Bornhausen e Marco Maciel, e o PP de Maluf.

É inegável que a Arena representa um passado que deixamos para trás, que não fazemos questão de lembrar ou viver.

A Era da Censura, da Tortura, dos Quartéis foi enterrada.

Não para uma patricinha que nem nascida era quando tudo isso aconteceu. Uma patricinha que nem de berço de ouro veio, nunca foi elite e que almeja, quem sabe um dia, chegar lá.

Além de burrice, há muito incoerência em seu discurso. Bolsista do Prouni se declara contra qualquer programa social.

Como assim?

O Prouni, se ela não sabe, é um programa direcionado para famílias com renda de até 3 salários mínimos per capita, ou seja, é programa social sim. Só que opinião contrária à Cotas raciais ou sociais vindo de quem precisa soa muito mal.

Não se engane garotinha, o pessoal que você representa não lhe quer por perto, seu projetinho de refundar algo enfadonho como a Arena, não vingará porque a elite desse país, seu público alvo, lhe odeia. Odeia pobre.

E você pode até aparecer na foto ao lado de tanques, mas saiba que se um dia você, por algum motivo, se colocar à sua frente. Ele atropela geral patricinha.

Eles odeiam pobres, se liga.

Leia também:

Estudante que tenta refundar a Arena tem bolsa no ProUni – Estadão

Líder da nova Arena é bolsista do Prouni – O Povo

ARENA – Partido de sustentação da ditadura militar é refundado – Renan Alves

Anúncios

Recado dado! Alô alô Globo, aquele abraço.

O sucesso do ENEM. Ninguém sabe, ninguém viu.

Houve algum problema grave com o ENEM esse ano?

Não vi repercussão nenhuma do maior concurso (em número de candidatos) do hemisfério sul. Quase 6 milhões de pessoas se submeteram sem problemas a dois dias de provas.

Esse exame passaria desapercebido senão fosse 65 “otários” que entraram na onda da mídia golpista e tiraram foto do cartão resposta à mando da Veja. Resultado: O MEC desclassificou-os.

O ENEM não sai da boca da oposição desse país, inclusive foi motivo de ataquestucanos ao então candidato Haddad na corrida eleitoral em São Paulo.

E sabe porque esta elite odeia o ENEM?

Porque  botou o filho da empregada para disputar de igual com o filhinho-de-papai. Isso, em países onde a burguesia comanda, é motivo até para golpe de estado.

Até que tentaram.

Este ano o sucesso do exame foi abafado. Gostaria de rever aqueles “especialistas” de anos passados, gostaria de saber suas opiniões agora.

Só sei o seguinte: Quem apostou contra o ENEM, perdeu.

 

Globo é imparcial na cobertura das eleições (americanas)

Sucursal tupiniquim cobrindo eleições do patrão.

Nossa imperiosa TV montou tenda em Washington para cobrir as eleições presidenciais americanas. Até Bonner desembarcou por aquelas bandas para cumprir o ritual de bajulação eterna.

Conseguiram até ser imparciais.

Mas qual será a diferença entre Democratas e Republicanos?

Na opinião da Globo, nenhuma.

Para nossa mídia provinciana, independente de quem ocupe a Casa Branca, a subserviência tá garantida pelos próximos 500 anos.

E para nós, povão, pra que servem as eleições americanas?

Nada, absolutamente nada.

Há assuntos pelas bandas de cá que necessitam mais atenção em nossa mídia.

Há uma guerra em São Paulo e infelizmente ninguém, absolutamente ninguém, pendura esta carnificina no pescoço do, no mínimo incompetente, governador Geraldo Alckmin. Por muito menos do que isso, Sérgio Cabral aceitou ajuda do Governo Federal, subiu o morro com tanques e instalou UPPs nas favelas cariocas. Se foi esta a atitude mais certa, só o tempo dirá.

A cobertura da imprensa brasileira beira o irresponsável abafamento. A Policial militar que foi executada na porta de casa  não teve direito a auxílio do Estado de São Paulo, pelo simples fato de “estar de folga”. Nessa guerra urbana e declarada, quase uma centena de pais de família (e mães também) morreram e foram contados todas as noites à voz de Cristhiane Pelajo e William Waack. Culpados? Nenhum.

Até o mensalão esqueceram. Coincidência as eleições municipais se findaram. A campanha eleitoral pelas bandas de cá acabaram e o queridinho Serra sucumbiu. Coincidência nosso Eminente relator e Salvador da pátria, Joaquim Barbosa programou seu afastamento médico para depois das eleições. Coincidência, esse mensalão foi julgado no período de campanha eleitoral.

Coincidência?

Enquanto isso nossa mídia insiste no quem é melhor: Obama ou Romney?

%d blogueiros gostam disto: