Sinesio Pontes Blog

Início » Posts etiquetados como 'Economia'

Arquivo da tag: Economia

Dilma corta juros e cala o PiG.

Cai, cai, cai, cai...

Dilma mostrou que aprendeu bem com o professor Lula. Cortou juros no Banco do Brasil e na Caixa Economica cortará também.

Não vi a chiadeira de Sardenbergs e Leitões.

Eles não dão as boas notícias nunca.

É assim desde Roberto Marinho.

Na contra-mão do pessimismo do PiG os JUROS caem.

E a inflação também.

Enquanto no PiG, o silêncio.

Leia também:

BB corta juros para pessoas físicas e MPEs

Dilma, popularidade esmagadora.

Anúncios

Brazilian Dream

Quem diria. Europeus estão recorrendo ao Brasil para fugir da crise.

Há algum tempo atrás, e não faz tanto tempo assim, os brasileiros eram conhecidos  como “imigrantes ilegais”. Milhares de brasileiros foram deportados do aeroporto mesmo. Maltratados, humilhados, subjulgados.

Agora a coisa se inverteu. O Brasil está se tornando porto seguro para muitos imigrantes  que fogem do desemprego, sobretudo os da zona do Euro.

Amigos navegantes essa é a mudança que não aparece no JN.

Brasil na mira dos estrangeiros

Publicada: 21/11/2011 00:57| Atualizada: 21/11/2011 00:57

Lucy Andrade REPÓRTER

O Brasil passou de terra da emigração para país da imigração. Em um passado muito recente era corriqueiro ouvirmos brasileiros, especialmente jovens, buscando empregos e melhores oportunidades de vida nas terras estrangeiras. Com a crise externa e desempenho da economia brasileira, o cenário mudou. O Brasil que era exportador de mão de obra voltou a ser o país dos imigrantes.

A concessão de vistos de permanência cresceu 67% de 2009 para 2010, enquanto os processos de naturalização dobraram de 1.056 para 2.116. Além dos imigrantes ilegais – perto de 600 mil – em média existem cerca de dois milhões de estrangeiros morando no Brasil. Dados do Ministério da Justiça mostram um aumento de 52,5% no número de regularização de estrangeiros que buscam uma oportunidade de vida no país, saltando de 961 mil registros em 2010 para 1,466 milhões até junho.  (mais…)

Petrobras construirá Unidade de Abatimento de emissões atmosféricas em Pernambuco.

Extraído do Portal Fator.

Petrobras assina contrato para construção de Unidades que reduzirão emissões atmosféricas

11/06/2011 – 09:16

Unidades com tecnologia pioneira na América Latina serão implantadas na Refinaria Abreu e Lima (PE).

A Petrobras assinouno dia 08 de junho (quarta-feira), no edifício sede da companhia, no Rio de Janeiro, contrato com a Empresa Brasileira de Engenharia (EBE) e a Alusa para construção de Unidades de Abatimento de Emissões Atmosféricas, com tecnologia SNOx, na Refinaria Abreu e Lima, em Recife (PE). As Unidades farão o tratamento dos gases de combustão das caldeiras, além de gases ácidos (sulfeto de hidrogênio – H2S e amônia) e correntes residuais da refinaria (disulfeto líquido e gasoso).

Parte da energia dos gases processados é recuperada na forma de vapor e ar quente, contribuindo para a eficiência energética do sistema. No processo, serão removidos os óxidos de enxofre e nitrogênio (partículas sólidas) das emissões, tornando-os consideravelmente menos poluentes. O processo tem como subproduto o ácido sulfúrico, que é aplicado em indústrias de fertilizantes, mineração e explosivos.

As duas unidades (U-93 e U-94) terão maior capacidade do que as duas similares existentes no mundo, processando no total 30.528.000Nm3/dia (Normais de Metros Cúbicos), sendo 15.264.000Nm3/dia cada. A refinaria da ENI, em Gela, na Itália, tem uma unidade SNOX de 24.000.000 Nm3/dia, e a refinaria da OMV, em Viena, na Áustria, tem uma unidade de 19.920.000 Nm3/dia.

Um basta na crise Sulamericana.

Que a rivalidade entre Brasil e Argentina extrapolam as quatro linhas do campo não é mais novidade, pois bem, essa semana será decisiva para a solução de um impasse no comércio entre os dois países.

Tudo começou quando nossos hermanos bloquearam a entrada de  calçados, peças automotivas e alimentos. Em represália o Brasil não permitiu a entrada de automóveis argentinos. Medidas que geraram  mal-estar entre as duas maiores economias sulamericanas.

É preciso fortalecer a relação comerciais entre essas duas nações emergentes. O protecionismo só ajuda a curto prazo e beneficia os interesses de terceiros como China ou EUA. Que o legado de cooperação iniciado por Lula e Nestor Kirchner prevaleça.

Leia também:

Integração continua.

Quem pagará essa conta?

Extraído do JC Online.

Brasil e Argentina fazem acordo para desbloquear mercadorias

Porta-voz afirma que decisão não significa o fim das medidas adotadas pelo Brasil de suspender a licença automática para a importação de automóveis

Já começou.

A catastrófe anunciada pelo PiG tem dia e hora para acabar. O preço dos combustíveis, principal responsável pela alta da inflação no mês de abril, já está recuando.

A inflação neste período do ano é normal, porém os pseudo-especialistas de plantão, que entendem tanto de economia como eu de entendo de História da Arte, só falam abobrinhas para botar medo nos desavisados.

É o fim do mundo chegando. Buhhhhhhh!

Extraído do G1

Desigualdade no Brasil despenca. Eu já sabia

Esse Lula...

O Brasil atualmente colhe os frutos dos oito anos do Governo Lula. Inegavelmente tivemos avanços no campos econômico, financeiro, trabalhista e social. Crescimento recorde, taxas de desemprego muito menores do que em outros tempos. Isso é notório e não precisamos de especialistas para nos dizerem. Nós vivemos pra assistir isso.

Só quem não viu foi a chamada Oposição, PSDB e o extinto DEM (já estou me antecipando). Serra e sua turma preferiram jogar pedras em Lula e desprezaram a nova classe que emergiu das profundezas deixadas por FHC. Resultado: Perderam as eleições para presidente e em vários estados, além de comporem atualmente a menor bancada de oposição que a Câmara já teve. (No regime democrático é claro)

O Governo Lula conseguiu fazer em 08 anos o que estava previsto acontecer em 25 anos. Isso é histórico. Por isso a aprovação de 89% no final do mandato. Infelizmente nossa imprensa, sedente de golpe, não divulga com o valor que esse fato merece. Essa queda na desigualdade não é atribuída aos programas sociais, que muitos chamam de esmola (porque nunca precisaram), e sim ao ganho de renda através do trabalho que também aumentou não só nos grandes centros mas em todo o Brasil.

Amigos navegantes ainda falta muito, mas creio que estejamos na direção certa.

Leia também:

Lula 20, FHC zero. | Sinesio Pontes Blog
Recorde de empregos. | Sinesio Pontes Blog
Assim como a economia, a Educação. | Sinesio Pontes Blog

Taxa de desigualdade no Brasil atinge mínima histórica, diz FGV – G1

Desigualdade é a menor desde que começou a pesquisa, em 1960.
Bernardo Tabak Do G1 RJ

A taxa de desigualdade no Brasil caiu à mínima histórica no final de 2010, segundo estudo divulgado pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (CPS/FGV) nesta terça-feira (3). Em oito anos – de dezembro de 2002 a dezembro de 2010 -, o país conseguiu reduzir a pobreza em 50,64%, de acordo com a pesquisa “Desigualdade de Renda da Década”.

“Em 8 anos, no governo Lula, foi feito o que era previsto para 25 anos, de acordo com a Meta do Milênio da Organização das Nações Unidas, que era reduzir a pobreza em 50% de 1990 até 2015”, ressaltou o economista Marcelo Neri, coordenador do CPS/FGV. “E, desde o Plano Real, a pobreza caiu 67,3% no Brasil. Um feito notável comparado com outros países”, complementou.

A taxa de desigualdade, medida pelo índice de Gini, ficou em 0,5304 em 2010, a menor desde 1960, quando começou a pesquisa. Quanto mais perto de 1, mais desigual é o país. “Os principais motivos para isso foram, principalmente, a educação e, em menor parte, os programas sociais”, explicou Neri. (mais…)

Parou geral.

Futuro incerto dos trabalhadores da construção da Refinaria Abreu e Lima e Petroquímica Suape.

Passado um mês depois da última paralisação, os mesmos trabalhadores cruzam os braços atrás de condições melhores de trabalho além de alguns direitos.

Amigos navegantes, é impressão minha ou tem algo errado?

A paralisação foi iniciada no dia 17 pelos 4.822 trabalhadores do Conest – consórcio formado pela Odebrecht e OAS responsável pelas unidades de hidrotratamento e destilação atmosférica da refinaria. No dia seguinte, a paralisação se estendeu por todos os canteiros de obras da refinaria e, nesta semana, alcançou a construção das três fábricas da Petroquímica.

Extraído da Carta Capital

Maior greve do Brasil tem julgamento adiado

Bruno Huberman 24 de março de 2011 às 16:29h

O destino da paralisação que mantém os 34 mil operários do Complexo de Suape de braços cruzados será definido semana que vem pelo Tribunal do Trabalho

Enquanto os olhos de todos estão voltados para Jirau, em Rondônia, onde na semana passada os mais de vinte mil trabalhadores da construção da hidrelétrica fizeram uma rebelião que chamou atenção pelos atos de vandalismo, outra obra do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), em Pernambuco, está parada há um mês pela greve dos funcionários.

Nesta quinta-feira 24 iria acontecer um julgamento no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Pernambuco para definir o futuro da paralisação dos 34 mil trabalhadores da Refinaria Abreu e Lima e da Petroquímica de Suape. O Ministério Público do Trabalho (MPT) media a negociação entre patrões e funcionários. Até agora já foram atendidas 11 das 13 reivindicações dos operários, que ainda exigem pagamento de 100% das horas extras no sábado (atualmente recebem apenas 70%) e o aumento do vale-alimentação de 80 para 160 reais mensais. “O Ministério Público está fazendo de tudo para que as demandas dos trabalhadores sejam atendidas o mais rápido possível”, afirma a assessora de comunicação do MP, Mariana Banja.

O MPT apresentou novas propostas às duas partes e realizará uma audiência na segunda-feira 28 para tentar chegar a um acordo e evitar o dissídio. Caso ele não aconteça, está marcada para a terça-feira 29 nova sessão no TRT para julgar além da legalidade da greve, a sua natureza econômica. “Uma preocupação do ministério é caso as vontades dos trabalhadores não sejam atendidas as revoltas que podem acontecer, o que não é bom para a segurança dos operários e para obra, porque geraria prejuízo para as empresas e, consequentemente, para o governo”, diz Banja.

Assim como em Jirau, a greve em Suape revela as más condições de trabalho que os trabalhadores das mega-obras do PAC estão submetidos. “Nós vamos continuar acompanhando a situação dos trabalhadores nessas obras seja qual for a definição da greve”, compleata a assessora.

A Refinaria e a Petroquímica são os dois maiores investimentos do Plano no Estado, com um custo superior a 15 bilhões de reais. Esta é a maior greve nas três décadas de implementação do Complexo de Suape e mobiliza as 29 empresas do consórcio.

Leia também:

Operários da Refinaria Abreu e Lima retomam atividades. Em 18/02.

Greve atrasa obra da Refinaria Abreu e Lima. Em 15/02

%d blogueiros gostam disto: