Sinesio Pontes Blog

Início » Posts etiquetados como 'Paraguai'

Arquivo da tag: Paraguai

Venezuela ou Paraguai? Nossa mídia morre de amores pelos americanos imperialistas.

Chavez no Mercosul. O PiG babou….

O Senado paraguaio deu uma golpe no Presidente Lugo. Pelas bandas daqui muita gente aplaudiu. Globo, Veja, Jabores, Azevedos e Mervais saíram em defesa dos vizinhos golpistas e da legalidade do impeachment.

Por outro lado, a admissão da Venezuela pela Mercosul, que sempre foi vetado pelo próprio Senado paraguaio, foi condenada pelos mesmos veículos golpistas.

A quem interessa o Golpe no Paraguai?

A quem interessa a não entrada da Venezuela no Mercosul?

Aos mesmos de sempre.

Extraído da CartaCapital:

Roberto Amaral

11.07.2012 10:25

O Mercosul na pauta da velha imprensa

De par com a uniformidade ideológica de direita – ou seja, a inexistência do contraditório requerido pela democracia –, salta à vista a desconexão entre o interesse nacional e a mesquinhez editorial da grande imprensa brasileira.

Quando escrevo, nas linhas acima, “interesse nacional”, refiro-me, inclusive, aos interesses mais imediatos do empresariado. Do descompasso entre a chamada mídia e a nação, exemplo irretorquível é a campanha contra o ingresso da Venezuela no Mercosul, acesso o qual, sabem até os contínuos das redações, é do maior interesse para a economia brasileira e atende a necessidades geopolíticas nossas. É isso mesmo: o Brasil, mercê de sua extensão territorial, dos seus recursos naturais e da sua população, tem interesses geopolíticos legítimos; ademais, é a principal economia do continente. Gostem ou não os órfãos da política da subalternidade e as viúvas do alinhamento automático do Brasil aos interesses das grandes potências. Essa realidade, da qual evidentemente decorrem novas exigências, é incompatível com o “complexo de vira-lata” que domina a visão de mundo de nossas elites alienadas. A visão que elas têm de nosso povo e de nosso projeto de nação, uma nação que não poderia dar certo porque colonizada por portugueses de cabelos pretos e olhos escuros e não por franceses e holandeses. Povo que não poderia ansiar pela grandeza porque formado por europeus de segunda classe, índios preguiçosos e negros nostálgicos.

Por que, contrariando nossos interesses econômicos e políticos, essa “grande imprensa”, reflexa, combate o ingresso no Mercosul da terceira economia continental, uma das maiores reservas petrolíferas do mundo e o terceiro mercado consumidor da região? Na Venezuela, país ao qual me refiro, aliás, já operam inumeráveis empresas brasileiras, e para suas importações se voltam as esperanças da indústria manufatureira nacional, como alternativa às crises europeia e norte-americana – sim, por incrível que pareça, a crise é deles, do “pessoal de olhos azuis” como muito bem grafou o presidente Lula. Em resumo, é do interesse da economia brasileira, mais do que de todas as demais economias da região e do bloco, a expansão do Mercosul e nele o ingresso da Venezuela, já aprovado, antes da reunião de Mendonza, pelos parlamentos de Brasil, Argentina e Uruguai. Mas esse interesse não é só das empresas estritamente brasileiras (indústrias, construtores, bancos), pois é do interesse óbvio das multinacionais aqui instaladas, vez que elas atuam no Mercosul e em alguns casos com maior desenvoltura do que nossos empresários.

Mas os jornalões são contra. (mais…)

Pelo menos o golpe em Lugo serviu para alguma coisa. Venezuela seja bem vinda ao Mercosul.

Quem com ferro fere…

O parlamento paraguaio precisou apenas de 30 horas para dá um “golpe parlamentar” no presidente eleito Fernando Lugo. Brasil, Argentina e Uruguai precisaram de uma semana para dar resposta.

Suspenderam o Paraguai e seu presidente golpista das decisões do Mercosul, e ainda por cima admitiram a Venezuela no bloco, o que sempre foi preterido pelo parlamento paraguaio. O mesmo que defenestrou Lugo.

Além disso retirou o Paraguai da presidência rotativa da Unasul escolhendo o Peru em seu lugar.

A Veja é claro odiou. Em menos de uma semana foi do céu ao inferno. Exaltaram o golpe de Federico Franco e repudiaram a atitude dos três presidentes.

Seria trágico se não fosse cômico.

Era a brecha que Hugo Chavez queria. Como um goleador que se preze, não perdeu a chance de marcar mais um tento contra essa elite burra sulamericana, que odeia pobres e idolatra os americanos.

Para desprezo do nosso PiG, e dos Mervais, Azevedos, Jabores e Waacks alheios.

E alegria de Lula.

E a popularidade de Dilma? Nas alturas…

Leia também:

Protocolos do Mercosul causam chilique na mídia golpista – Blog da Cidadania

Veja apoia Golpe paraguaio, preparando-se para repetir a dose por essas bandas.  

Yankes já sabiam do golpe desde 2009.

Segundo o extinto Wikileaks o Golpe paraguaio já estava planejado há muito tempo. O final já sabemos.

Extraído do Brasil247:

Em 2009, EUA já previam golpe no Paraguai                       

Foto: Edição/247

Documento da embaixada dos EUA em Assunção, vazado pelo Wikileaks, tratava de um possível golpe parlamentar contra Fernando Lugo; até agora, o governo de Obama não se pronunciou sobre a mudança de governo no país vizinho

24 de Junho de 2012 às 18:28

Pra não deixar de falar em Obama

Hélio Doyle

247 – O documento é de 23 de março de 2009 e foi vazado pelo Wikileaks. Produzido pela embaixada dos Estados Unidos em Assunção, o memorando previa que Fernando Lugo seria derrubado por meio de um golpe parlamentar – exatamente como aconteceu na última sexta-feira, quando o presidente eleito do Paraguai foi substituído por seu vice Federico Franco.

Enquadrado como “confidencial” por Michael J. Fitzpatrick, o texto diz o seguinte:

“Rumores indicam que o general Lino Oviedo e o ex-presidente Nicanor Duarte estão trabalhando juntos para assumir o poder por meio de instrumentos (predominantemente) legais que deverão afetar o presidente Lugo nos próximos meses. O objetivo: capitalizar sobre qualquer tropeço de Lugo para iniciar o processo político no Congresso, impedir Lugo e assegurar sua supremacia política (…) A revolta relacionada a um programa de subsídios para agricultores por meio de ONGs foi considerada um pretexto para o impeachment antes que Lugo abandonasse o programa. Para um presidente que enfrenta muitos desafios – disputas políticas internas, corrupção e a percepção de que seu estilo de liderança é ineficiente – Lugo deve se preocupar para não cometer um erro, que seria seu último.”

Até agora, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não se manifestou sobre o golpe de Estado no Paraguai. Na Rio+20, o jornalista Fernando Rodrigues, da Folha de S. Paulo, foi cercado por seguranças quando tentou saber da secretária de Estado Hillary Clinton qual é a posição dos Estados Unidos a respeito da crise.

Correa acolhe Assange !!!

Veja apoia Golpe paraguaio, preparando-se para repetir a dose por essas bandas.

“O que me incomoda é o silêncio dos bons”. Luther King

A modalidade paraguaia de dar golpe foi peculiar. Em 30 horas foi aprovado um processo de impeachment no parlamento, com apoio popular zero.

Não foi preciso tanques, nem fardados impunhando seus fuzis, apesar da presença de franco atiradores no teto do Congresso no momento em que desferia o Golpe “parlamentar”.

De terno e gravata como manda o figurino.

E nós, o que temos com isso?

Tudo.

Não é só a Ponte da amizade ou Itaipu que nos une.

E se Dilma não tivesse a maioria no Congresso?

Era possível destituí-la apenas por seu cabelo dessarrumado. Ou pelo simples fato da sua saia não combinar com a blusa.

Demitida por justa causa.

Como Lugo.

Temer assumiria e prontamente a Veja sairia em defesa do golpe.

Como está sendo com o Paraguai.

Quem apoiou este golpe, no fundo tem anseios que estes ventos soprem por aqui.

Jabores, Azevedos e Mervais já saíram a favor do golpe. Eles representam a mesma opinião dos grandes latifundiários e oligarcas que sempre se opuseram as mudanças conseguidas no Governo Lugo. A visão elitista o impedem de enxergar a vontade popular.

Pra eles “vontade popular é coisa de pobre.”

Por isso odeiam Lula.

Leia e tirem suas conclusões:

Impeachment de Fernando Lugo foi, sim, um golpe – CartaCapital

Paraguai em Luto. Fernando Lugo sofre golpe de estado – Sinesio Pontes

Diferenças – Merval

O que, afinal, quer Dilma? Reeditar a “Guerra do Paraguai”? O Brasil tem de ser mais respeitoso com a soberania de um país vizinho! – Veja

Fernando Lugo fala à povo paraguaio.

Após ser deposto por golpe parlamentar, presidente paraguaio Fernando Lugo fala à população.

O que está por trás do golpe na Paraguai.

O que motivou a derrubada de Lugo da Presidência do Paraguai?

Corrupção? Roubalheira?

Má administração? Miséria?

Não.

O julgamento foi coberto de muita politicagem. Pura e bandida.

Um presidente alinhado com o povo, disposto a realizar reforma agrária e lembrando que foi esse presidente que tentou consertar um erro histórico no caso de Itaipu. Contra um Parlamento vendido, alinhado com os americanos e que em outra oportunidade vetou a entrada da Venezuela no Mercosul.

Em Assunção o povo saiu às ruas para protestar, por aqui a Veja comemorou.

Quem o Parlamento paraguaio defendeu nesse impeachment?

Eles próprios.

Uma inédita aliança entre Liberais e Colorados pôs fim ao governo, eleito democraticamente, de Fernando Lugo.

O presidente Lugo aceitou a derrota.

Nós não.

Leia também:

SANTAYANA: “KÁTIA” E EUA TENTAM O GOLPE NO PARAGUAI – PHA

A reação contra o golpe de Estado no Paraguai – Luis Nassif

Destituição de Lugo é constitucional e democrática – Veja.

Paraguai em Luto. Fernando Lugo sofre golpe de estado.

O povo paraguaio está com Lugo.

E havia quem achasse que a América do Sul estava livre deste expediente.

O Presidente eleito Fernando Lugo sofreu um impeachment relâmpago num conchavo inédito entre Liberais e Colorados. Manobra digna de filmes hollywoodianos.

Aliados até ontem, quando possuíam 05 Ministros de Estado, os Liberais se voltaram contra o presidente Lugo e tomaram de assalto a Presidência deste país que tem o 64º presidente em pouco mais de 200 anos.

Isso demonstra que o poder das elites sobrepõe a vontade popular. Um presidente que foi eleito por uma maioria pobre que sempre possuiu o apoio popular pois manteve uma política que diminuíra as desigualdades sociais, sobretudo na reforma agrária.

Os paraguaios, principalmente os pobres, só têm a lamentar.

Novamente.

E do mesmo jeito que foi no Paraguai poderia ser no Brasil.

O que aconteceu com Lugo, nosso PiG tentou por oito anos fazer com Lula.

Mas a sorte é que Lula tinha Alencar.

Dilma tem Temer.

Cuidado Dilma.

%d blogueiros gostam disto: